Como usar o Growth Hacking para crescer o seu negócio

Development and growth concept. Businessman plan growth and increase of positive indicators in his business.

Growth Hacking está presente em muitas start-ups e vem ganhando cada vez mais espaço. Se você está pesquisando sobre marketing e empreendedorismo já deve ter visto essa expressão e talvez até ter lido alguns casos de sucesso.

Fique tranquilo! Pois não é só em start-ups ou grandes equipes de marketing que o Growth Hacking tem espaço.

Ele é o motivo pelo qual podemos ver algumas novas startups a cada ano, com taxas de crescimento absurdamente incríveis.

E você vai descobrir neste artigo, tudo o que precisa saber para entender e usar o Growth Hacking a favor da sua empresa. Vamos lá?

O que é Growth Hacking?

É uma estratégia de marketing focada em experimentos. Com o Growth Hacking é possível identificar oportunidades para o sucesso e criar metodologias específicas tendo em vista resultados rápidos para o crescimento escalável da empresa.

Em português, Growth Hacking não tem uma tradução definida e fica bem rude ser literal. Mas isolando as palavras, seria algo como:

  • Growth – crescimento.
  • Hack – brecha, espaço, corte.
  • Hacking – o ato de encontrar e explorar essas brechas e espaços.

Sendo assim, Growth Hacking é a prática de encontrar “gatilhos” que, ao serem acionados, promovem um crescimento acelerado para empresas.

Quem pode fazer o Growth hacking?

O Growth Hacking está acontecendo há pouco tempo, mas é uma disciplina que possui muita demanda. Afinal, toda empresa precisa de growth hackers (especialistas de marketing que promovem crescimento rápido com o uso da inovação).

Infelizmente essa prática não é tão simples e rápida. Pois, o Growth Hacking se equivale da abordagem científica para identificar esses gatilhos.

Além do conhecimento técnico e de alguns conceitos de Marketing, o growth hacker precisa compreender muito bem os processos, a metodologia de experimentosa tecnologia e acima de tudo a psicologia do consumidor.

Saber como os consumidores pensam ao longo da jornada de compra, como reagem e pelo que são motivadas é algo fundamental para um growth hacker.

Pois ao entender isso, ele cruza esses dados com seus conhecimentos de Marketing e encontra possíveis gatilhos de crescimento e, com método, experimenta e busca a comprovação de suas hipóteses.

Já existe o cargo de growth hacker e até times  bem estruturados de Growth Hacking, isso é geralmente feito dentro da área de Marketing. Mas na realidade o Growth Hacking é mais uma ideologia do que posição hierárquica. Ou seja, qualquer profissional pode e deve implementar essa forma de pensar para obter resultados melhores, grandes e rápidos.

Leia mais

Por que você deveria estar tentando melhorar sua estratégia de vendas

5 motivos para investir em Inbound Marketing

Checklist: como fazer Growth Hacking

  1. Faça um Brainstorming: nessa etapa faça um estoque de ideias. Elas não serão aproveitadas no primeiro momento. Mas as ideias geradas no Brainstorming devem ser devidamente documentadas;
  2. Estabeleça prioridades: seguindo com o fluxo, essa é a hora de fazer uma seleção das ideias que serão transformadas em experimentos e determinar a prioridade de execução de cada uma delas.
  3. Registre o Experimento: nesta parte do projeto que todo o experimento terá a sua jornada registrada.
  4. Realize os testes: Inspirado no conceito de MVP (produto mínimo viável), o Minimum Viable Test (MVT) ou Teste Mínimo Viável é usado para testar uma hipótese no projeto de Growth Hacking.
  5. Analise os Resultados:compare os números obtidos durante o teste com as hipóteses levantadas no documento de experimento.

Ao final de cada ciclo de Growth Hacking, trabalhe sempre visando a melhoria contínua.

Aplique os resultados e identifique os erros a serem corrigidos em um novo projeto.

Sempre pense em obter crescimento. Um ciclo de Growth Hacking pode ser definido como infinito.

Agora você já sabe como fazer seu negócio crescer de forma exponencial. Aplique os conceitos e coloque a mão na massa.

E por falar nisso, conseguiu assimilar todos os pontos? Deixe suas dúvidas nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *